Mulher grávida é apedrejada até a morte por pai, irmão e parentes, depois de se apaixonar por “homem errado”


Farzana Iqbal, de 25 anos, foi apedrejada após se casar com homem com quem se apaixonou.

Uma mulher grávida foi apedrejada até a morte por membros de sua própria família depois dela se apaixonar pelo homem errado (de acordo com a crença de seus parentes). Farzana Iqbal, de 25 anos, foi atacada com tijolos por pelo menos doze homens, incluindo seu pai, irmão e ex-noivo.

A mulher sofreu ferimentos graves na cabeça e foi declarada morta no hospital. A polícia de Lahore, no Paquistão, disse que todos os suspeitos fugiram, exceto o pai da vítima. 

Ele admitiu ter matado sua filha, explicando que se tratava de uma questão de honra. A família tinha arranjado um casamento para Farzana, com seu próprio primo, mas ela havia se casado com outro homem e estava grávida.

Muitas famílias paquistanesas acreditam que casamentos no qual a mulher escolhe o homem traz desonra para a família.

A família de Farzana havia registrado um caso de sequestro contra o marido, mas ela relatou que havia se casado de vontade própria. 


Cerca de 1.000 mulheres paquistanesas são mortas a cada ano por suas famílias em crimes de honra, de acordo com grupos de direitos paquistaneses da Fundação Aurat.

Reprodução: R7


Proxima Proxima
Anterior Anterior

Destaque

Em Paratinga, Governador Rui entrega obras e autoriza convênio do Bahia Produtiva

O governador Rui Costa entregou, nesta quinta-feira (22), um c...